Há muitos fatores que desgastam os pneus de um carro além do atrito com o asfalto. Peso excessivo, frenagem incorreta, terreno irregular, desalinhamento e desbalanceamento.

Os primeiros são mais fáceis de identificar e de corrigir, agora quando se trata de alinhamento e balanceamento, muitas vezes negligenciamos e só vamos nos preocupar quando as vésperas de viagens longas, mas o uso no dia-a-dia fica muito prejudicado sem estes ajustes.

Então, vamos abordar aqui a importância de um alinhamento do balanceamento para preservar a vida útil dos pneus e do seu carro como um todo.

Desgaste desigual dos Pneus

Apesar de normalmente serem procedimentos que andam acompanhados, existem diferenças no alinhamento e no balanceamento, e de fato um é complementar ao outro e por isso que funcionam bem quando executadas juntas. Também pela praticidade de se tratar de uma mesma parte do veículo, então é recomendado sim que os procedimentos sejam feitos em conjunto.

Mas, vamos entender as diferenças de cada um e para que server.

Alinhamento

O alinhamento tem a ver diretamente com o carro em movimento, ou seja, se ele permanece em linha reta mesmo quando o condutor solta o volante.

No procedimento é levado em consideração as forças que incidem sobre o carro como gravidade, força de viragem, força centrípeta, aderência e etc.

Levando esses fatores é feito o alinhamento de 3 ângulos principais, que são a cambagem, caster e convergência. Na cambagem, que é o mais conhecido do grande público, que leva em conta a inclinação vertical da roda em relação ao solo, e é possível notar a necessidade da cambagem observando o desgaste no ombro do pneu.

O caster, é o alinhamento do ângulo de inclinação do pino-rei na relação vertical, responsável pela estabilidade do veículo que o mantém autocentrado, ou seja, rodando em linha reta.

Por fim, na convergência ou divergência verifica-se a distância entre as partes dianteiras e traseiras do pneu por uma visão de cima, e o alinhamento desse ponto garante o desgaste dos pneus por igual.

Balanceamento

Esse também é dividido em etapas, mas no caso são duas, a estática e a dinâmica.

Na estática, podem ser feitos ajustes com o carro parado, atuando no ajuste de peso do pneu e do conjunto da roda.

Já no dinâmico, e necessário que o eixo esteja em rotação para que possam ser diagnosticadas e resolvidas as irregularidades.

Ambos são adequados para o balanceamento correto que evitam trepidações do carro em velocidades acima de 60 km/h, diminuindo a deterioração dos pneus, distúrbios de direção e comprometimento da capacidade de frenagem.

Aqui na Opus Pneus, recomendamos que a cada 10 mil km rodados, deve ser feito um novo alinhamento e balanceamento no seu veículo, mesmo que você não venha sentido trepidações ou o tal “volante puxando”. Isso porque, o processo é gradual de fato, e no dia-a-dia você não sinta, pois, o carro não está sob o estresse de uma curva ou freada brusca, e é aí que mora o perigo.

Por isso, se faz tempo desde sua última revisão, traga seu carro para Opus Pneus que temos equipe especializada para realizar o alinhamento e balanceamento do seu veículo, e até trocar os pneus se necessário. Tudo isso com preços e condições ótimas, venha nos visitar e aproveite, aumente a vida útil do seu automóvel com o serviço de excelência da Opus Pneus.